sexta-feira, 21 de outubro de 2016

SC: Ciclone extratropical provoca vendavais e um tsunami meteorológico

A semana iniciada no dia 16 de outubro de 2016, foi marcada por fenômenos atmosféricos extremos na região sul de Santa Catarina. O motivo dos estragos estão relacionados à presença de um ciclone extratropical que está sobre o oceano, bem na altura de Santa Catarina. 

Tubarão, no Sul catarinense, decretou calamidade pública após um vendaval com rajadas de vento superando os 100km/h. Balneário Rincão também sofreu com um evento bastante raro, um tsunami meteorológico.

O estado divulga que no total, 64 municípios catarinenses foram atingidos por temporais.

As perdas foram enormes e 4 pessoas morreram: um homem que caiu do telhado em Fraiburgo, no Oeste, uma mulher que morreu de infarto após sofrer forte emoção durante a chuva de granizo, também em Fraiburgo, a menina de 8 anos que morreu em Tubarão no domingo e um agricultor de 26 que morreu na segunda (17) em São Carlos, no Oeste.

Em todo o estado, foram contabilizados 41 feridos, 28 desabrigados e 3.617 desalojados. No total, foram 131.148 afetados. 5.406 casas e 112 instalações públicas tiveram danos.

Em entrevista ao Jornal do Almoço (RBS) o Geólogo da Furb, Juarez Aumond afirma que os fenômenos cada vez mais extremados, ocorrem em função das mudanças climáticas. São difíceis de prever e devem ocorrer com cada vez mais frequência. E como não conseguimos reverter estas mudanças, devemos nos preparar melhor e proteger.

Tsunami Meteorológico

De acordo com a Defesa Civil – SC, O fenômeno que provocou a onda na praia em Balneário Rincão foi um tsunami meteorológico. Em inglês se chama de meteotsunami.

Um tsunami meteorológico ocorre quando um conjunto de cúmulo-nimbo, a nuvem que provoca as tempestades, se propaga em paralelo sobre o oceano. Nesse cenário, uma grande onda pode se formar caso as ondas do mar também estejam alinhadas a essas nuvens.

"Ocorre uma ressonância entre a onda de pressão [nuvem] e a onda do mar, que se aproxima da costa, cresce em amplitude e pode inundar a região costeira", explica também Renato Ramos da Silva, professor de física da atmosfera da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina).


Em Santa Catarina já houve registros na praia do Pântano do Sul, e que também foi sentido na praia da Armação em 19 de novembro de 2009. Esse evento foi muito bem documentado e descrito pelo Eloi Mello et al. (2010). Além desses, ocorreram dois eventos similares na praia do Cassino no RS em 1977 e em 2014. 




Um estudo mais aprofundado sobre o tema pode ser verificado no link http://www.semengo.furg.br/2010/24.pdf



Vendaval em Tubarão



Microexplosão em Laguna

A microexplosão, que é facilmente confundida com um tornado também foi registrada na região sul de SC.


Jonathan Kreutzfeld

Fontes:








Nenhum comentário:

Postar um comentário