segunda-feira, 25 de maio de 2015

Migrações atuais na Europa e em SC

O que?

A chegada de barcos cheios de imigrantes pobres e desesperados à Europa pelo mar Mediterrâneo está exercendo uma enorme pressão sobre a União Europeia, que busca soluções para o fluxo crescente de pessoas.
Entre 2013 e 2014, milhares de pessoas se afogaram tentando chegar à Europa. Foram inúmeros os chamados para que a UE levasse a cabo uma ação coordenada para interceptar contrabandistas e lidar com os muitos imigrantes que tentam buscar asilo antes de chegar à terra.

Por que?

A agitação social que resultou da Primavera Árabe trouxe novas pressões migratórias sobre a Europa ao levar mais pessoas a arriscar suas vidas atravessando o Mediterrâneo em barcos lotados e em péssimo estado.
A sangrenta guerra civil na Síria também aumentou o número de sírios em busca de refúgio na Europa. Essa é a principal nacionalidade que está migrando ilegalmente à UE, superando afegãos e eritreus.
Os pontos de partida costumam ser no norte da África, provenientes do Egito e da Líbia e carregando pessoas de países em guerra ou pobreza extrema.
Em 2013, a Frontex detectou 40.304 imigrantes em situação irregular na rota do Mediterrâneo Central, aumento de 288% em relação a 2012. Esses números subiram em 2014, atingindo mais de 150 mil.
As guerras na Síria e no Iraque são claramente importantes catalisadores de migração para a Europa. Os vizinhos da Síria no Oriente Médio receberam cerca de 3 milhões de refugiados, enquanto milhões de pessoas foram deslocadas dentro do próprio território sírio.

Por outro lado, muitos migrantes continuam a fazer viagens perigosas a partir do Chifre da África, sendo muitas vezes tratados com violência por traficantes e enfrentando o calor do deserto e o conflito na Líbia, um país que se tornou o principal ponto de partida para a travessia do Mediterrâneo.
A guerra também afetou a Somália, e as autoridades italianas acreditam que muitos dos que pedem asilo têm razões genuínas para pedir asilo, já que fogem de perseguição.
No caso da Eritreia, muitos jovens estão fugindo do serviço militar obrigatório que alguns classificam como trabalho escravo. A Eritreia também enfrenta a repressão política, de acordo com relatórios de organizações de defesa dos direitos humanos.
Em geral, países instáveis politicamente, guerras, Estado Islâmico e pobreza extrema são os principais motivos de migrações.

Como a União Europeia está lidando com a imigração?

Durante anos, a UE teve problemas para harmonizar sua política de asilo. É algo complicado considerando que há 28 países membros, cada um com sua própria polícia e sistema de justiça.
Há novas regras estabelecidas pelo Sistema Europeu Comum de Asilo, mas uma coisa é ter regras e outra é colocá-las em prática em todo o bloco.
O Regulamento de Dublin engloba as principais regras para lidar com pedidos de asilo. Indica que a responsabilidade por examinar os pedidos recai principalmente sobre o Estado-Membro que desempenha o papel principal na chegada de quem pede asilo - em geral, o primeiro país da União Europeia que o migrante pisou, mas nem sempre. Em muitos casos, os migrantes chegam em um país ao sul mas querem se unir a familiares que estejam, por exemplo, no Reino Unido ou na Holanda.

Algumas reações quanto à vinda de estrangeiros para SC

Chegaram a Florianópolis (SC), no começo da madrugada desta segunda-feira 25/05/2015, os haitianos e senegaleses que se deslocam para o Sul do país desde quinta-feira. No entanto, a falta de informações do governo do Acre (AC), de onde partiram 88 estrangeiros em dois ônibus, provocou desencontros na viagem que tem como destino final a capital gaúcha.

FIESC - Haitianos e senegaleses em SC: "Imigrantes ocupam postos que são dispensados", diz representante da Fiesc — Isso acontece porque muitos dos imigrantes têm capacitação e até nível superior, mas a qualificação ainda precisa ser propiciada para eles ocuparem essas vagas disponíveis — acredita.

ÂNGELA ALBINO – "Nosso povo é filho de imigrantes e precisa ser generoso com o tema", diz Ângela Albino sobre estrangeiros em SC.

PELA INTERNET- Já pela internet, catarinenses têm demonstrado apreensão com a chegada de 88 imigrantes haitianos e senegaleses ao Estado. O principal temor apontado é relativo à possibilidade de perda de vagas no mercado de trabalho para os estrangeiros, que pode agravar a situação econômica em Santa Catarina.

Sobre o assunto, o Jornal Zero Hora de Porto Alegre fez um breve documentário intitulado:


INFERNO NA TERRA PROMETIDA


Fonte:






quinta-feira, 7 de maio de 2015

Tornado em Xanxerê

Na tarde do dia 20 de abril de 2015, a cidade de Xanxerê, com 47.679 habitantes localizada no oeste catarinense foi atingida por um tornado.

O tornado foi classificado como F2, quando os ventos superam os 210km/h. Uma estação meteorológica da cidade registrou ventos de 84 km/h porém essa estação fica distante das áreas mais atingidas.


Os estragos causados na região totalizaram até o momento 4 mortes, atingiram mais de 10 mil pessoas, desabrigando cerca de 4 mil. 

Xanxerê teve 78 casas destruídas e Ponte Serrada 24, sendo cinco totalmente e 19 parcialmente. Além disso muitas estruturas públicas também foram afetadas. 

Os investimentos previstos para restabelecer as casas e estruturas destruídas totalizam mais de 5,8 milhões de reais até o momento.

Tornados e o fenômeno de Xanxerê

Tornado é um funil que se forma entre a base da nuvem e o solo. Santa Catarina é uma das regiões do país mais favoráveis a formação de nuvens cumulonimbus, as que podem dar origem a tornados, conforme o Inmet. Com a incidência de frentes frias, fenômenos de chuva e não de frio, há mais chances do fenômeno.

De acordo com o órgão, pelos mapas meteorológicos, é possível ver que esta nuvem cumulonimbus cobria toda a região Oeste catarinense no horário do fenômeno. O tornado depende da climatologia e topografia.

Ainda segundo o meteorologista do Inmet, a formação do tornado é de difícil previsão. “Geralmente os radares só detectam o fenômeno quando ele acontece. É diferente de um furacão, por exemplo, que é possível prever onde e quando ele deve acontecer”, diz  Melo.


Jonathan Kreutzfeld

 VÍDEO DO TORNADO EM XANXERÊ

Fonte: