quinta-feira, 4 de julho de 2013

O Planejamento Urbano e as Questões Socioambientais

Texto de Laila Cristina Grubert, orientado por Jonathan Kreutzfeld.

INTRODUÇÃO

O planejamento urbano está diretamente ligado às questões ambientais e também aos problemas sociais, trazendo intempéries à sociedade. Estes problemas podem ser ambientais, que ocorrem através de ações naturais ou, ainda praticadas pelo próprio ser humano. E problemas sociais, que são ocasionados pelas péssimas condições de vida das pessoas, a falta de paciência, gerando violência, e ainda a própria conscientização das pessoas, que envolve a responsabilidade pela estrutura urbana e também à poluição sonora, visual e ambiental.

Os problemas em relação ao planejamento urbano se dão por questões políticas, econômicas, sociais e culturais. E não são encontrados apenas em cidade grandes, mas também em cidades pequenas, que muitas vezes apresentam um número significativo de problemas com o planejamento urbano, meio ambiente e social.

O PLANEJAMENTO URBANO E AS QUESTÕES AMBIENTAIS

A estrutura de uma cidade deve ser muito bem planejada, tendo engenheiros e trabalhadores especializados na área, para que com o passar do tempo a cidade não apresente determinados problemas, ou ainda cause impactos em relação ao meio ambiente.

Atualmente várias cidades do mundo inteiro estão altamente urbanizadas devido ao processo que se deu na Idade Média, aonde os trabalhadores da zona rural vieram para as áreas urbanas de uma cidade, em busca de uma vida diferenciada, com maior renda e condições de vida favoráveis.

Devido à urbanização, que nos dias de hoje se encontra altamente concentrada, é que ocorrem muitos problemas ambientais que ora podem ser de causas naturais ou ora da própria ação do homem, se ligando à má ocupação e uso do solo das cidades, ocasionando consequências como os fenômenos denominados de enchentes, enxurradas, deslizamentos, alagamentos, ilhas de calor, chuvas ácidas e inversão térmica.

As enchentes e enxurradas podem ocorrer por motivos naturais. A enchente ocorre por um período mais longo, sendo um fenômeno que se dá, quando o leito do rio extravasa o seu nível em épocas de cheias. As enxurradas acontecem devido à alta concentração de água em rios pequenos. 

Os alagamentos são problemas que muitas vezes se desenvolvem por motivos urbanos, como a falta de drenagem urbana, fazendo com que muitos bueiros das cidades não consigam dar conta de toda água, devido à grande quantidade de lixo encontrada nas ruas. 

A ilha de calor é o lugar onde há um excesso de calor momentâneo. A tendência é que nas áreas urbanas durante o dia fique mais quente do que de noite. Isso se deve à grande quantidade de prédios espelhados em cidades grandes, e ainda levando em conta os poluentes que são produzidos pelas automóveis que circulam nas áreas urbanas e as indústrias responsáveis pela queima de poluentes químicos. O fenômeno explicado pode ser obtido pela Figura 1:

Figura 1 - Ilha de Calor

A chuva ácida se dá quando a atmosfera está suja e os poluentes vão precipitar, fazendo com que a sujeira que se encontrava no ar vá direto ao ambiente.

As inversões térmicas são as trocas de calor entre a superfície terrestre e a atmosfera, sendo um fenômeno que ocorre naturalmente. São consideradas como alterações de circulação normal das camadas de ar quente e fria próximas à superfície terrestre. O problema ocorre pela falta de chuva e vento.

O planejamento urbano também se liga às questões ambientais devido à ocupação do solo de forma irregular. Muitas pessoas por não terem conhecimento geográfico de determinada área acabam se instalando em qualquer local, sendo considerados lugares de risco. Um exemplo é o que ocorreu com Niterói (Figura 2), no Rio de Janeiro no ano de 2010, onde existiam casas que foram construídas em cima de um antigo lixão, que devido às fortes chuvas daquele ano, acabou ocasionando os deslizamentos de terra e colocando a vida de muitas pessoas em risco, sendo que muitas acabaram sendo soterradas devido ao fenômeno.

Figura 2 - Deslizamento em Niterói, RJ

O PLANEJAMENTO URBANO E OS PROBLEMAS SOCIAIS

Em uma cidade que não apresenta um bom planejamento urbano, com certeza apresentará péssimas condições de vida e problemas sociais.

Devido ao processo de industrialização tardio no Brasil, fez com que a população tivesse inúmeros problemas sociais, que se agravam ainda mais quando muitas pessoas possuem mais riqueza do que as outras, deixando uma grande maioria em condições precárias de vida.

Os problemas da população em relação ao planejamento urbano são as presenças de favelas e cortiços, desempregos e subempregos, trânsito, violência, poluição, e muitos outros.

Enquanto uns vivem em casas aconchegantes, ou em áreas em que surge sempre um bairro novo de pessoas com boas condições de vida, muitos lutam por conseguir um local para morar, como é o caso das favelas e cortiços.

Quando se fala em favela muitos pensam em violência, mas sabemos que muitas pessoas que moram em uma, não praticam violência, simplesmente elas estão morando nestes lugares devido às suas péssimas condições financeiras de vida. Como conceito de favela pode-se dizer que uma ocupação irregular, que não possui um proprietário, não tem planta feita por um engenheiro, e muito menos um engenheiro, podem ser consideradas como um lugar sem estrutura. Já os cortiços são grandes casarões antigos uni familiares, ou seja, que foram construídos para a ocupação de uma família, que agora estão sendo usados para abrigar muitas pessoas, sendo dividido em pequenas casinhas. Nestes locais as pessoas têm que dividir a água, determinados cômodos da casa, a energia, e outras “propriedades” da casa, mostrando o sinal de pobreza.

O desemprego e o subemprego também são grandes problemas de um país, tanto desenvolvido quanto subdesenvolvido. As principais causas do desemprego são: a falta de qualificação do trabalhador, crises financeiras, os próprios fatores climáticos, os custos dos impostos para as empresas contratarem com carteira assinada, etc. Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) no mês de janeiro de 2013, a taxa de desemprego no Brasil ficou em 5,4%, sendo a menor para o mês de janeiro dos últimos 11 anos.

O subemprego em relação ao desemprego é considerado o pior, pois ocorre devido à falta de formação ou pouca formação das pessoas em determinadas áreas de emprego. Precisando de dinheiro para seu sustento, elas optam por trabalhos como diaristas, catadores de papel, e etc., sendo o seu salário considerado como uma miséria.

Outro problema social que ocorre devido à falta de planejamento urbano é o trânsito intenso, principalmente em horários em que muitos levam seus filhos à escola, vão trabalhar, ou voltam do trabalho. Este tipo de problema muitas vezes é gerado devido à falta de outras estradas, ou ainda “atalhos”, para que o trânsito não se concentre em um único ponto da cidade. Com a falta de paciência que muito têm em relação aos congestionamentos acaba gerando outros problemas como a violência, que também pode ser entendida como o ato de roubar, matar, violentar, alguém ou algo. O barulho das cidades também pode ser entendido como um problema social gerando poluições como sonoras e visuais.

A poluição das cidades ocorre devido à falta de locais apropriados para as pessoas depositarem seu lixo, que muitas vezes são jogados em rios e na própria rua, calçadas e etc., ou ainda a falta de conscientização das próprias pessoas. A poluição pode ser da água, da atmosfera, etc. Em poucas cidades ocorre o tratamento de esgoto, e é importante lembrar que ele também faz parte do planejamento urbano. Com a falta dos tratamentos de esgoto e da água muitas pessoas acabam contraindo doenças.

Outro problema social em relação ao planejamento urbano são a falta de calçadas, e locais apropriados para os portadores de deficiência, que também são parte da sociedade, e como todos os cidadãos querem melhorias nas cidades para a sua qualidade de vida.

A seguir imagens relacionadas aos problemas sociais gerados pela falta de planejamento urbano:





CONCLUSÃO

Atualmente devido aos problemas sociais e ambientais em relação ao planejamento urbano pode-se concluir que os países subdesenvolvidos têm muito que aprender com países desenvolvidos e que possuem um planejamento das cidades de forma favorável para que as pessoas possam viver em lugares mais seguros para evitar problemas com o meio ambiente como citados no decorrer deste trabalho; não só os problemas ambientais como também os sociais causados pelas péssimas condições de vida das pessoas, incluindo os lugares onde moram, a sujeira das cidades, a violência e muitos outros fatores que trazem prejuízo ou danos à vida das pessoas.

Uma cidade bem planejada e estruturada com certeza não apresentará tantos problemas sociais e ambientais, pois o planejamento urbano não resolve tudo, mas reduz muitos problemas. Sendo bem desenvolvido o planejamento da cidade, as pessoas que nela moram irão ter a plena satisfação de fazer parte do determinado lugar, e ainda não apresentarão problemas que poderão ser prejudiciais para saúde, questão financeira, para as pessoas como um todo e é claro, também para o meio ambiente.

Sugestão de Vídeo: 
Planeta Favela - Mike Davis (2006)

Sugestão de leitura complementar:









REFERÊNCIAS

Disponível em: http://www.suapesquisa.com/economia/causas_desemprego.htm Acesso em: 26/06/2013


Nenhum comentário:

Postar um comentário