quarta-feira, 7 de setembro de 2011

A Fome no Mundo

Trabalho escolar dos alunos do 1o ano do Ensino Médio do Centro Educacional Timbó S/A (CETISA).

Ana Paula Bublitz
Lara Krambeck
Matheus Andriani

Professor: Jonathan Kreutzfeld

A FOME NO MUNDO

Introdução.
Neste trabalho iremos abordar sobre um grande problema de nível mundial: a fome. Sabendo que tudo o que é produzido no mundo é o suficiente para todos terem comida farta todos os dias, porque quase um bilhão de pessoas no mundo são assoladas pela fome? É o que iremos explicar no decorrer do trabalho.
A relação entre a agropecuária e a fome, outras causas que causam esse mal e soluções elaboradas por nós serão vistas adiante. Esperamos que este trabalho ofereça esclarecimentos o suficiente para o entendimento deste problema, o maior enfrentado na atualidade.
DESENVOLVIMENTO 

Cenário agropecuário atual.
É errado pensar que a fome no mundo é causada por uma população excessiva, ou o fato de não ter terras cultiváveis suficientes no mundo. Primeiro temos que saber: temos terra o suficiente para que todos no mundo possam ter acesso farto à comida. A culpa mesmo é do modo de produção atual.
Para um melhor entendimento, temos que saber sobre o cenário agropecuário atual. Se com as terras atuais poderia haver comida farta para todos, porque isso não acontece?
1-     Política de monocultura: em muitos países, predomina a cultura de apenas um produto principal, para suprir outros países, geralmente desenvolvidos.  Estes países, não investem em tecnologias para manufaturar outros itens, e acabam tendo que importar itens industrializados e outros diversos. E o pior, o preço que será pago pelo o único produto produzido, são as potências que determinam. E o preço que esse país terá de pagar pra comprar produtos manufaturados, também são as potências que determinam. Assim, o preço que ele terá de pagar para comprar os manufaturados, são maiores que os preços de venda de suas commodities, sendo obrigados a comprar quantidades insuficientes de produtos industrializados para não gerarem dívidas. Produtos insuficientes: população com fome. Quem acaba gerando isso, são as multinacionais.
2-     Multinacionais: empresas de caráter mundial que tem como objetivo lucro massivo. Atuam em países onde há matéria-prima barata e de limitados direitos dos trabalhadores. Exploram diversos países e conseguem commodities abundantes, oferecendo diversos itens aos países desenvolvidos. Assim, os países que são abusados, passam a não ter acesso a nenhum produto, pois o que é produzido é exportado. Apenas uma minoria terá dinheiro para comprar os manufaturados importados.
3-     Emprego nos países monocultores: em países monocultores, o número necessário de pessoas trabalhando é drasticamente menor do que a população, principalmente pela substituição por máquinas. Ou seja, apenas uma parte pequena da população pode trabalhar e ter dinheiro para comprar os produtos manufaturados importados. O resto, sem nenhuma outra oportunidade de trabalho, acaba não tendo acesso a alimento. Isto acontece muito nos países africanos, onde a produção dos países é exclusiva a minérios ou produtos agrícolas. Por isso há um percentual de miséria e fome tão abundante nesta parte do planeta.
Países monocultores são resultados de uma cadeia de produção errada, e deixar de ser um, é impossível tendo em vista as dividas que estes possuem;
Outras causas da fome.
Não é apenas pela exploração agrícola dos países que a fome é causada. Outros diversos fatores constituem esse mal a ser combatido. Dentre eles, podemos destacar:
Dívidas externas: países menos desenvolvidos acabam contraindo dividas com os países desenvolvidos ao comprar produtos manufaturados. Em pouco em pouco, a dívida aumenta, junto com os elevados juros. Mas, se os países decidirem pagar as dívidas, acabam não possuindo fundos para comprar alimentos manufaturados.
Conflitos armados: em todo o mundo, o que é gasto com armas e equipamentos militares nos diversos conflitos armados pelo mundo em UM mês, seria o suficiente para alimentar toda a população mundial por TREZE meses. Sem falar, que num meio em que há conflitos militares, a distribuição de alimentos é ainda mais precária.
Neo-colonialismo: muitos países se tornarem independentes no século XX, principalmente a partir de 1945. Antes, dependentes de suas metrópoles, mesmo depois de independentes continuaram com fortes relações de comércio, abusivo, por falta de infraestrutura.
O dinheiro gasto em conflitos armados poderia ser muito bem investido no combate da fome e da miséria;
Soluções para a fome.
Dentre os problemas citados, o nosso dever é elaborar soluções para a fome no mundo sem grandes impactos mundiais. A nosso ver, é necessária uma profunda mudança em todo o sistema de produção atual, que funciona de modo egoísta, favorecendo cada vez mais o crescimento e o lucro de poucos. Soluções elaboradas por nós são:
Incentivo para instalação de indústrias em países monocultores.
Ter uma melhor distribuição de empresas pelo mundo, principalmente nos países monocultores, onde todos pudessem ter acesso a dinheiro para comprar alimentação. Empresas do setor alimentício nestes países seriam de grande valia, para acabar com a dependência dos países ricos e com os altos preços cobrados por eles. Esta medida deveria ser feita de forma gradual, para não ocasionar uma forte crise nos países ricos.
Solução e eliminação dos conflitos armados.
Chega ser ridícula a quantidade de dinheiro gasto em material armamentista. Este dinheiro poderia ser usado em diversos itens que ajudariam no combate da fome mundial. Iremos citar mais a frente propostas em que será necessário um fundo financeiro.
Agricultura de subsistência.
Existem grandes áreas de terra disponíveis, ou ocupadas pelo setor agrícola capitalista. O governo poderia ao menos garantir pequenas terras ou latifúndios coletivos, com um mínimo de infraestrutura para garantir uma alimentação no mínimo suficiente. Investir na especialização da população para conseguir ao menos obter alimento próprio da terra, não é uma tarefa impossível. A partir disso, poderia-se criar cooperativas de comércio de alimentos, que se mostram eficientes em vários lugares, inclusive no Brasil.
Controle de distribuição.
O que é produzido atualmente no cenário agrícola, é o suficiente para suprir todos. A distribuição é que se mostra extremamente falha. Eliminar o modo de acumular grandes estoques, sofrendo muitas vezes grandes desperdícios.
Pagamento das dívidas dos países monocultores.
Acumular dinheiro com a eliminação da corrupção, conflitos armados por um curto período do tempo seria o suficiente para pagar as dívidas dos países monocultores. Isso acabaria com a dependência que possuem de exportar todas as suas commodities para não contraírem cada vez mais dívidas.
Distribuição mais interna de alimentos.
Criar uma política de diversidade de alimentos em todos os países, em conjunto de empresas alimentícias internas. Assim, seriam produzidos na terra diversos alimentos e transformados em manufaturados dentro do país, acabando com a dependência que há nos países pobres. Havendo necessidade da compra de alimentos de outros países, procurar assegurar alimento suficiente para toda a população e uma balança comercial favorável, evitando contrair dividas. Em países sem recursos naturais, procurar investir em outros setores, para que houvesse uma troca equilibrada de produtos com outros países com abundancia de alimentos.
Agricultura de subsistência deveria ser no mínimo uma garantia de sustento em países com problemas crônicos de fome;
Conclusão.
Abordamos neste trabalho a relação entre o cenário agronômico atual e a fome, o porquê de os alimentos produzidos, apesar de suficientes, não suprirem a população mundial. Vimos que no caso isso se deve ao fato da exploração sofrida pelos países, geralmente monocultores, por países ricos, geralmente sem condições naturais propicias, mas com grandes indústrias. Também citamos soluções encontradas por nós, que exigem grandes mudanças no sistema de produção atual. A elaboração do trabalho buscou ser de forma simples e rica em informações, e o seu entendimento foi o nosso objetivo.
Referências:
Acesso em: 03/09/11.
Acesso em: 03/09/11.
Acesso em: 03/09/11.
Acesso em: 03/09/11.
Acesso em: 03/09/11.

3 comentários:

  1. É isso aí alunos! Pretendo fazer bastante trabalho com vocês e depois aproveitar essa mão de obra escrava para postar trabalhos no Blog! Brincadeira! Ensinar e Aprender esse é o objetivo do Blog!!!!

    Jonathan Kreutzfeld

    ResponderExcluir
  2. adorei me ajudou muito em meu trabalho de geografia !!!

    ResponderExcluir